quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Um pedaço de Cora




"Creio numa força imanente
que vai ligando a família humana
numa corrente luminosa
de fraternidade universal."

Do poema "Ofertas de Aninha (aos moços)" - Cora Carolina
Imagem relacionada



É a maneira como seus olhas me vigiam, como eles me tocam distantes e se insinuam. É intenso. Sinto, percebo e apenas quero permanecer aqui, sendo vista.

                                       Quézia Estéfani

Véspera

É hoje. Véspera de dias importantes. Hoje é o dia em que você não sabe muito o que fazer pra acalmar tudo. Tudo, dentro e fora. Hoje é aquele dia que não vale a pena o sofrimento, mas mesmo assim você sofre. É dia que não vale as palpitações, mas seu coração cambaleia como passista num dia carnavalesco. Hoje é dia que não vale calmante, meditação, música lenta. Hoje é véspera. E toda véspera é dia de espera. Então, espere.
       (Um texto quase sem sentindo pra tentar alcalmar a minha véspera. Seja lá qual for a sua, espere! :)

                    Quézia Estéfani

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

RECOMEÇO

Já dizia Chico - "a bênção do recomeço". Senti isso. É. Senti que precisa recomeçar. E comecei assim pela melhor parte do recomeço. Substituindo velhas opiniões, achismos e mesmo certezas. Reinventando o que antes estava vazio ou mesmo atolado de metáforas insignificantes. E foi assim, quando tudo perdeu o sentido que pude perceber: havia vida. Ainda havia vida. E parte de mim esperava descobrir essa vida. Foi então que recomecei. Em integralidade me senti inteira outra vez. E foi assim. Ah, foi assim. Recomecei, pois parte de mim era procura e a outra, espaço para achados. E foi assim, recomecei. Olhei novamente. Parecia fim, mas era comeo. Ah, pude ter a graça do recomeço. 

                                                                                                       Quézia Estéfani

quarta-feira, 23 de outubro de 2013








Não me entrego sem lutar 
Tenho ainda coração 
Não aprendi a me render 
Que caia o inimigo então 

                     Metal contra as nuvens - Renato Russo/Legião Urbana

Lembrar disso aqui. Sorrir.






Tudo passa 
Tudo passará 
E nossa história 
Não estará 
Pelo avesso assim 
Sem final feliz 
Teremos coisas bonitas pra contar 
E até lá 
Vamos viver 
Temos muito ainda por fazer 
Não olhe pra trás 
Apenas começamos 
O mundo começa agora, ah! 
Apenas começamos. 

                          
                         Metal contra as nuvens - amado Renato Russo/Legião Urbana


domingo, 30 de junho de 2013

É a maneira como seus olhas me vigiam, como eles me tocam distantes e se insinuam. É instenso. Sinto, percebo e apenas quero permanecer aqui, sendo vista. 

                                       Quézia Estéfani

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

terça-feira, 15 de janeiro de 2013






Não existe meio termo. Você e eu e mais ninguém.
                         Quézia Estéfani.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012



" As pessoas esperam que o ano que está começando seja melhor. 
Aposto que o ano que esta começando espera que as pessoas é que sejam melhores!"

Mafalda .













    Desacreditei muito das coisas, sobretudo das pessoas e suas boas intenções.

  Nosso ilustre, 
                                 Caio Fernando Abreu .
                                 (Sim! Eu amo essa frase)

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Do encontro ...



P1fzlt592198na6g57pl7icctfa754gf_large



Restou um livro de Agatha Christie
A rosquinha velha, mofada
Na cama a tua blusa
No coração, saudade nossa.

Quézia Estéfani.



"2013 vai ser o meu ano!"



            Bem, muita coisa mudou e com plena certeza afirmo que dentro desses cinco dias vindouros para o final do nosso querido 2012, muita coisa ainda vai mudar. Visíveis ou não, dentro de mim mudaram. Quantas profecias foram tocadas adiante nesses meses todos, mas nenhuma perpetuou tanto quanto a de que o tão comentado ano de 2012 acabaria lindo e repleto de novas vontades, de novos sorrisos e tantos abraços; afinal quem queria que ele acabasse tão absurdamente?! Creio eu, que não muita gente...
         Foram tantos planos feitos durante tanto tempo, possíveis formas de transformar cada dia, cada minuto de cada instante que passou. Mas sinto que por vários instantes fracassei. Não foi como esperava e assim mesmo só será quando a hora certa chegar. Tento escrever que amei, deixei, desejei, persuadi, angustiei, demorei, gritei, arrematei, ouvi, calei, senti, fiz, desfiz,orei, pedi, recebi, dei e, dentro desse quarto lilás eu também conversei comigo, naquela cama desarrumada à meia noite eu acordei assustada e feliz (incondicionalmente!) pelo simples fato de existência e por poder mesmo não tão significativamente, viver 2012. Viver 17 verões "arretados" na minha adorável Bahia, viver com intensidade e respeitando a vida, mas nunca aceitando minha condição de que aqui é meu lugar, de que aqui é minha história. Esse é sim, meu lugar, onde meus sonhos nasceram, mas onde não morrerão. Não sei onde é meu lugar, pretendo encontrar, claro! Encontrar (onde esteja), o destino guiará meus passos para alcançá-lo, pois é meu. 
            Mas existi uma fé que cambaleia dentro de mim, a mesma fé que um dia fizeram os pés pequenos caminhar, cair, caminhar, continuar, essa fé inebria meus medos e me conduz aos novos dias, deixando acordar o ano novo e despertar saudade do que passou. Tenha apenas fé, que quando o relógio cantar feliz que o novo ano chegou um sorriso paira em teu rosto e àquelas antigas vontades não realizadas em 2012 te acompanhem e causem, ainda assim, muito mais que vontade...
             E, mesmo que cada dia deixe saudade, fique ansioso por próximos dias, por próximos anos, por novos sonhos e que a sensação de dever cumprido não te deixe aquietar.


               Feliz ano novo, Happy new year, Gelukkige nuwe jaar, Bonne année, Buon anno, queridos leitores do Vez após vez!


                                                                      Quézia Estéfani.
    

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Nosso adorável Snoopy .


(...) 



(...)



(...)




Pedaços de outros sorrisos emendam nossos sorrisos.
                                                      Quézia Estéfani .